quarta-feira, 30 de março de 2011

terça-feira, 29 de março de 2011

O cumulo da estupidez (no trânsito)


Ora como qualquer leitor (relativamente) atento deste blog deve saber, eu stresso um cadito (mas só um cadito lol) no trânsito.... Há uns dias vi uma cena para lá de hilariante acontecer...

Então reza assim esta história... estava eu e mais uns quantos parolos no para-arranca numa via que iria virar à direita e um daqueles "senhores" chico-espertos fura-filas, daqueles que fingem que vão em frente mas que no fim se lembram que afinal querem mesmo virar à direita e sem pedir licença ou fazer pisca se atiram para cima dos carros que respeitam as regras de trânsito, tentou endrominar a condutora que ia à minha frente. Pois que a condutora que ia à minha frente, da mesma forma que eu, não se deixou endrominar e não deixou o dito chico-esperto levar a dele avante.

O fura-filas só se conseguiu meter depois de mim e, como é obvio, não ficou muito contente... até porque macho que é macho não passa uma vergonha destas em frente à rapariga que o acompanhava e se fica, ainda para mais foram duas mulheres que não o deixaram furar a fila. Pois claro que o anormal (peço desculpa que não tem outro nome) do alto da sua estupidez, egoismo e falta de civismo não podendo vingar-se em nós que não o tínhamos deixado meter-se resolveu... 1º discutir com a rapariga que ia dentro do carro, 2º quando um outro elemento da mesma espécie (chico-esperto fura-filas) lhe tentou fazer o mesmo ou melhor não era bem o mesmo porque este 2º fura filas até tinha espaço para se meter, não fosse o anormal ter acelerado que nem um doido e atravessado o carro à sua frente, ter buzinado e gritado que nem um louco que estava ali uma fila e que ele não se armasse em esperto que ali não entrava, 3º continuou a fazer coisas parvas no transito e 4º nem me admirava nada que a rapariga ainda tivesse levado uma galheta ou outra...

Pois enquanto o macho chico-esperto fura-filas fazia estas figurinhas ridículas eu só conseguia rir e pensar "que triste"... Só tenho pena que ele não leia estas linhas para perceber o quão ridículo se pode ser gratuitamente... E de não lhe ter conseguido gritar "Não faças aos outros aquilo que não gostas que te façam a tiiiiiiiiiiiiiiiii......." :)

segunda-feira, 28 de março de 2011

sexta-feira, 25 de março de 2011

Planeta Verde #5 - Hora do Planeta

Já ouviram falar da hora do Planeta?

É já amanhã 26/03 às 20:30.

A ideia é lembrar o mundo de que desperdiçamos demasiada energia. Fazer a maior plataforma voluntária contra as alterações climáticas.

E não é muito difícil.
Basta apagar as luzes por uma hora.

Voltar ao tempo em que não existia televisão nem computadores e ajudar a poupar muita energia.
Alertar o mundo para as alterações climáticas às 20:30 de Sábado 26 de Março de 2011, celebrando um compromisso com o nosso planeta. Espera-se que milhões de pessoas, em todo o mundo, adiram a esta iniciativa.


quinta-feira, 24 de março de 2011

Decisões...

.


Conheço uma rapariga que deixou de fumar, durante uns tempos... A ideia era poupar dinheiro (e a saúde, penso eu lol)... Ela diz que não resultou e ainda gastou mais!

Quando deixou de fumar, para compensar a falta de nicotina, começou a comer bolachas e chocolates
em doses industriais, digo eu... como achava que tinha mais dinheiro (porque não gastava em tabaco...naaa... só em doces) começou também a sair mais à noite, jantar fora e beber... e começou a engordar a olhos vistos hehe

Nessa altura, decidiu começar a frequentar um ginásio... pumba, toma lá uma mensalidade... como mesmo assim não estava a conseguir obter os resultados desejados lá foi ela
(maluca) à clinica do Póvoas... tumba, mais uns trocos valentes em consultas e comprimidos...

Agora, está (pode dizer-se) magra e fuma às escondidas... ainda gasta dinheiro em pastilhas, pasta de dentes e perfumes para disfarçar...


Fazendo bem as contas, a decisão de deixar de fumar (neste caso) deu um grande prejuízo financeiro... ou ele há gente muito maluca... ou, ainda, o que as pessoas inventam para se convencerem ;)

quarta-feira, 23 de março de 2011

Do Artur Agostinho e não só



Fonte da imagem: Record Online

Quando desaparecem as coisas, e as pessoas, a que estamos habituados desde pequenos, coisas que pensamos imutáveis, pessoas que achamos imortais, é que nos questionamos...

E agora? Como vai ser daqui para a frente? Estou a ficar velha? O mundo como o conheço nunca mais será o mesmo?


P.S.: RIP Artur Agostinho (1920 - 2011)

terça-feira, 22 de março de 2011

segunda-feira, 21 de março de 2011

Pela janela do meu carro...




Volta o tempo ameno e os beneficios (e/ou maleficios) de andar com o vidro do carro aberto. A musica tem de ser mais alta para se ouvir mesmo com o barulho do transito, pois claro!

E depois, além de se ouvir toda uma nova cidade, ondas de cheiro invadem os nosso sentidos. Ora e que ondas serão essas? perguntam vocês...

Pois que hoje de manhã desde as emissões potencialmente perigosas para a saúde publica do carro que precisa de ir urgentemente à oficina à "marezia" do nosso querido rio Tejo passando pelo pão acabadinho de fazer na padaria ali da esquina. Hoje tive direito a tudo!

Tarde de Domingo

.



Ontem foi dia da nossa família moderna passar a tarde a ver uma outra "Família Moderna". Devo dizer que não há série que me faça rir mais do que esta.
Foram estas as duas conclusões a que cheguei: se quiser rir a valer há que ver Modern Family e nunca mas nunca vou querer ter duas filhas lol
Vivam os fins de tarde de domingo na doçura de um lar moderno! :)

domingo, 20 de março de 2011

sábado, 19 de março de 2011

Que nunca falte a comida cá em casa...

.

...por inúmeros motivos!

Dos mais óbvios nem vou falar aqui mas, principalmente, porque fico extremamente mal humorada quando estou com fome.


Faço birra, respondo mal às pessoas e chego a ser demasiado agressiva. Trato mal toda a gente e fico enraivecida ao ponto de carregar no botão que iniciaria a WWIII, se tivesse de tomar a decisão nessa altura.

Gostava de perceber os mecanismos que fazem o meu organismo responder desta forma exagerada à falta de comida, parece que é tudo culpa da serotonina (ou da falta dela) mas, numa pequena pesquisa na net, já deu para perceber que I'm not the only one! :)

Por isso vou ali encher-me de bananas, chocolates e vinho (só para aumentar os níveis da dita cuja) e já volto.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Actualidades #2

Eu sei que tenho uma tendência inata para me preocupar demasiado com tudo.

Mas depois do sismo/tsunami/emergência nuclear no Japão, agora o possível conflito armado na Líbia em que Portugal até poderá (hipoteticamente) vir a estar envolvido. O país numa crise politica à beira da queda/demissão do governo...


A união europeia a querer impor as suas regras no Facebook e o Bon Jovi a apregoar que "o Steve Jobs matou a industria musical"...


Isto está mau mas pelos vistos pode ficar pior... ou será que sou eu a exagerar
mais uma vez?

Fonte: Coisas que li em jornais online como o Expresso.

quarta-feira, 16 de março de 2011

Faz-me espécie #2


Faz-me espécie pessoas que vão para a casa de banho, principalmente se for publica ou no local de trabalho, falar ao telefone.

Pessoas que se sentam na sanita e, literalmente, se cagam para a pessoa com quem falam... E continuam a falar ao telefone como se nada fosse. Nem que seja um xixi...

Acabo por achar cómico, quando estou na casa de banho e oiço algo como: espera aí um bocado... não desligues... ah tu não sabes mas enquanto estava a falar contigo aproveitei para vir à casa de banho... e logo se seguida o som do autoclismo...

Pergunto-me qual terá sido a reacção do outro lado, como se sentiu aquela pessoa? Encarou a situação de forma normal?

Desculpem se for eu que seja fora do normal mas não gostava de ser a pessoa do outro lado da linha, acharia uma falta de respeito. Também acho uma falta de respeito para as restantes "companheiras" de sanita... afinal está uma pessoa na casa de banho ao lado a querer estar concentrada no que está a fazer... e tem de estar a ouvir a conversa alheia. E finalmente, uma falta de respeito pela própria pessoa que partilha parte da sua vida privada com estranhas (ou menos estranhas) numa qualquer casa de banho.

terça-feira, 15 de março de 2011

Planeta Verde #5 - Poupar ao ritmo da água


Já ouviram falar da campanha, para promover a sustentabilidade dos recursos hídricos e o uso eficiente de água, chamada Poupar ao Ritmo da Água?

Visto que a maior parte da água que desperdiçamos é no banho e muitos de nós gostam de cantar no chuveiro, surgiu esta ideia. A de criar uma música com a duração ideal de um duche eficiente (3 minutos), para ajudar a controlar, cantando, o tempo que passamos debaixo de água.

Dêem voz ao lema "Banho não é um SPA, 3 minutos e já está!"

Vantagens, além de poupar água, gastamos menos dinheiro, ficamos mais bem dispostos logo pela manhã e acima de tudo começamos a chegar mais cedo ao emprego :)

Associado a esta campanha existe, ainda, um passatempo para incentivar a malta a poupar água. Pensem nisso...

sábado, 12 de março de 2011

Coisas que não se dizem #1

Coisas que não se dizem #1 - A uma mulher que acaba de sair do banho:

Então e a tua ginástica?

RIP Pollux




Não vou por-me aqui com as lamechices habituais neste tipo de situações.

Vou apenas dizer que ainda me sinto apática depois do choque da noticia mas que não estou em negação. Já verti umas quantas lágrimas (normal, numa situação destas) mas não estou num daqueles prantos pegados típicos de uma pessoa em depressão.

Sei que foi melhor para ti do que continuares a sofrer... Importantes são todos os momentos que passámos juntos (os bons e os menos bons). Nunca te esqueceremos.

quinta-feira, 10 de março de 2011

À beira de um ataque de nervos...

...quem pensa que a celulite não afecta as magras engana-se...

Aliás este post devia era chamar-se à beira de um ataque de celulite... enfim... há muito trabalhinho a fazer por aqui... e o trabalho que nunca mais acalma para voltar à ginástica diária...

Acho que tenho mesmo de me disciplinar!

quarta-feira, 9 de março de 2011

Hoje passei o dia a...

Pensar nestes...



E a ouvir isto...



E não! Não me sinto tremendamente deprimida e ando a chorar pelos cantos... Pura e simplesmente:

Gosto muito de Cupcakes e adoro esta música da Lykke Li! :)

terça-feira, 8 de março de 2011

Então e os homens?



International Womens Day Celebrated In Istanbul
Source: Life Photo: Getty Images

Apesar de não concordar a 100% com o conceito, não podia deixar de assinalar o centésimo Dia Internacional da Mulher aqui no blog. Na minha opinião a mulher, verdadeiramente, emancipada não precisa de um dia para si. Mas compreendo a necessidade que terá existido quando este dia foi criado e que, eventualmente e a avaliar pelas palavras do secretário geral da ONU, continua a existir em alguns países do mundo, em realidades mais longínquas do que a que conheço.

Na minha opinião, a luta por melhores condições trabalho e pelo direito ao voto, hoje em dia, deverá ser feita em conjunto por mulheres e homens, onde e sempre que se justifique. Como em tudo, culpa do capitalismo, este dia perdeu, há muito, as suas motivações originais e actualmente o que interessa é toda uma máquina comercial que se encontra montada à sua volta.

Para as mulheres, já deverá ser "prenda" suficiente serem mulheres, tão diferentes do homem, com a possibilidade de dar vida de uma forma única

Mas para que os homens não se queixem, os que não sabem, ficam a saber que o Dia Internacional do Homem se celebra a 19 de Novembro. Muito mais recente, começou a ser celebrado em 1999 e tem entre os seus objectivos combater o sexismo.

segunda-feira, 7 de março de 2011

I hate Mondays #2 - Tell me why...

Tell me why... I don't like Mondays

No meu estendal...

Esta manhã um homem acompanhado de 3 crianças (que não pareciam irmãos principalmente por serem todos de raças diferentes) bateu-me à porta. Disse que viviam uns andares mais acima e tinham deixado cair uma toalha e que esta tinha aterrado no meu estendal. Pediram-me para ir buscá-la. E eu lá fui, não sem antes pedir licença e fechar a porta.

Nunca os tinha visto no prédio... mas não pude deixar de sentir uma certa vergonha ao bater com a porta. Dizem as regras da segurança que fiz bem, mas então porque me senti mal ao fechar a porta? Como se decide, à primeira vista, em quem podemos confiar?

Efectivamente, a toalha estava lá... e, prontamente, a devolvi com um sorriso na boca.

sábado, 5 de março de 2011

Go shopping, please!



O gajo está preocupado comigo porque há muito tempo que não compro qualquer coisa para mim... onde é que já se viu?

Onde é que já se viu eu, moi meme, sem se perder nas compras há meses? Sem ir aos saldos? E onde é que já se viu um homem preocupado porque a namorada decidiu ser como a formiguinha? Só que esta trabalha e poupa no inverno para desbundar no Verão (so we hope)

Se calhar ele tem razão. Já que estou a cumprir os objectivos definidos nas nossas prioridades podia dar-me a um luxo ou outro de vez em quando. Mas a verdade, é que não me apetece... não me tem apetecido enfiar-me nas lojas... ainda se as lojas viessem cá a casa...

O que eu queria mesmo é que chegasse o tempo mais quente e passasse o Verão, para podermos ir de férias! :)

sexta-feira, 4 de março de 2011

Adopção, plano B ou escolha?



Sempre disse que caso não pudesse ter filhos, pensaria em adoptar. Sempre considerei a adopção uma opção viável, afinal mãe (ou pai) é quem cria...

Mas ultimamente essa ideia tem-se tornado mais intensa na minha cabeça, cada vez mais tenho vindo a pensar que a adopção não deve ser um plano b ou uma forma de compensação psicológica para a eventualidade de não poder ter um filho meu. Talvez a adopção deve ser uma escolha e não uma forma de escapar ao destino, ou um mal menor...

Cada vez mais penso que não devia esperar para saber se posso ter filhos ou não, para depois decidir se adopto. Primeiro deveria decidir se realmente quero adoptar e caso decida que sim, fazê-lo... que é como quem diz passar por todo um processo moroso, penoso e burocrático junto do estado português (pelo menos é o que vou vendo na televisão visto que ainda não procurei obter mais informações sobre o assunto, talvez por saber que ainda não estava preparada para ser mãe, que ainda não é o momento). Claro que, como a maioria das mulheres que ambiciona ser mãe, gostava também de passar por todo o "processo" de estar grávida. Por isso, penso que o ideal seria: um biológico e um adoptado :)

Ah e depois falta a opinião do D. sobre tudo isto. Adopção como derradeira opção ou escolha consciente?

quinta-feira, 3 de março de 2011

O ponto de não retorno




Um termo que uso com alguma frequência, a nivel profissional.

Há algum tempo percebi o que quer dizer quando aplicado a relações.
Há um determinado momento na relação em que o gostar ou não deixa de ser importante ou fazer sentido face às acções, palavras e faltas de respeito de ambas as partes. Nessa altura já não há nada a fazer, não vale a pena continuar a insistir no erro.

Ainda bem que, no meu caso, quando finalmente consegui meter na cabeça que o ponto de não retorno há muito tinha sido ultrapassado percebi que já não gostava, só insistia no erro devido às minhas possessividade e obsessão naturais.

E quando finalmente percebi isso fui muito mais feliz e descobri um outro termo que quando aplicado a relações me soa bem melhor: velocidade cruzeiro.
Que é como estamos neste momento, em velocidade cruzeiro. Ou seja num deslocamento sem aceleração e em linha recta!

É verdade que esta velocidade demora algum tempo até ser atingida mas depois de lá se estar, não é preciso grande esforço e as coisas correm naturalmente.

E quando estamos em velocidade cruzeiro numa relação tipo petroleiro? Ui... isto demora a arrancar mas depois ninguém nos pára! :)

terça-feira, 1 de março de 2011

Planeta Verde #4 - GPL

Nesta altura do campeonato penso que já toda a gente ouviu falar de GPL e das suas vantagens e desvantagens... Vai daí não vou dissertar sobre esse assunto.

Com o preço a que a gasolina está hoje em dia, é normal pensar em alternativas. Sem duvida, que os transportes públicos são a melhor, infelizmente a minha vida pouco regrada e rotinada não se dá bem com isso. E assim sendo é normal pensar em GPL (mas só pensar lol) porque uma dúvida me assola desde que pensei nessa alternativa.

Os condutores com que me cruzo diariamente (lol como se houvessem carros GPL na estrada como há motas, lá vou ter de riscar o diariamente...) na estrada são muito cautelosos que é como quem diz conduzem devagar, devagarinho...

Ora a minha duvida é:
Andam devagar porque o tal do GPL sai mais barato mas os carros não andam ou só instalam aquilo em carros cujos donos tenham ganho a carta na Farinha Amparo?